terça-feira, 16 de dezembro de 2014

E O VERBO SE FEZ HOMEM E HABITOU ENTRE NÓS.

E nós vimos a sua glória, glória que LHE vem do Pai, como filho único, cheio de graça e de verdade.
O Verbo do Pai, e segundo Pessoa da Trindade, a Palavra criadora habita entre nós, toma carne humana , nasce de uma Virgem de Nazaré. Tudo começa nesta bendita Encarnação, pois a partir dela se seguem todos os outros dons e mistérios.
O Verbo encarnou e habitou entre nós, cheio de graça e de glória. Ele é o Filho bem- amado do Pai. Viver bem este tempo do advento, tempo de esperança, é caminhar dia após dia abrindo o nosso coração para que Jesus sinta acolhimento dentro do nosso coração, esperando que Ele apareça aos nossos olhos mortais. Queremos vê-Lo como O viram os pastores e os magos. Ele nasceu no meio de nós, um como nós, expecto  no pecado. Ele vai ser a vida da nossa vida, nossa pérola, nosso tesouro, nosso encanto.


segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

              (SÃO JOSÉ GRANDE FIGURA DO ADVENTO)
São José, por causa do seu eloquente silêncio,_ no Evangelho não aparece uma única palavra dita por ele- é uma figura maravilhosa, encantadora. Escolhido com a missão de ser o esposo casto da Virgem Maria e portanto, o pai adotivo de Jesus, o Verbo do Pai feito carne, São José, apesar de não entender muitas coisas, aceita com coragem e audácia a sua vocação e missão. E não é pequena a missão de ser esposo casto da Virgem e cuidar, como pai, do próprio Filho de Deus. Que admirável  vocação!!!  Na trajetória destes insondáveis desígnios, José sabe aceitar com amor e total disponibilidade o querer divino. Aceita a palavra do Anjo, ouvida num sonho, e toma Maria para sua esposa. É ele que vai acompanhar  nos meses de gestação de Jesus, e que vai com Ela até Belém, onde a Virgem, dará à luz no presépio. Tudo feito com muito amor, carinho, e delicadeza, respeito, aceitação dos planos divinos. São José, segundo o Evangelho de Mateus, é convidado a fugir para o Egipto com o Menino e a Mãe, para salvar a criança do ódio de Herodes. Depois voltará para Nazaré e é com Ele que Jesus aprende a profissão. Não é por acaso que lhe chamam o« filho do carpinteiro». Com José temos muitas lições a aprender que nos ajudarão a viver o Advento: silêncio e recolhimento que nos centra em Deus e nos seus mistérios; adesão total á vontade divina mesmo quando não entende e os caminhos são complicados e  difíceis; amor a Maria e a Jesus que lhe enchem o coração de ternura e de carinho; preparação de tudo o que era necessário para bem acolher o nascimento do Verbo do Pai. Vive para Jesus e Maria, encanta-se poder servir. Com José, preparemos o Natal, vivendo um bom advento em oração e na plena adesão  à vontade de Deus, que exige a conversão do coração e da vida.                                                                  



quinta-feira, 21 de agosto de 2014

ÁGUA FONTE DE VIDA

                      ÁGUA FONTE DE VIDA
A água é um elemento importantíssimo para a vida. Sem água, não podemos viver, morreriam as plantas os animais e o ser humano. É a água que dá a vida. Sem ela aparece a seca e o deserto, sobre a superfície da terra. O corpo humano contém muita água e precisa diariamente, de bastante água pura para viver. Sem água límpida, o nosso físico adoece e morre.
A água é também um elemento simbólico, frequente e de muito valor, na Bíblia e na vida do Povo de Deus. Jesus andou sobre as águas, acalmou os ventos e fez outros milagres, no lago de Genesaré. Ele batizava com água e com o fogo do Espírito Santo. Todas as liturgias religiosas usam a água como elemento essencial. Os futurólogos afirmam, sem receio algum, que não tardará muito para chegarmos ao tempo em que a água custe tanto como a gasolina. Imagino-me numa das variadas praias de Portugal, com areia amarela e fina, húmida e movediça, tocada de mansinho pela pele dos meus pés descalços, a olhar para o Sol a pôr-se, no rubro acaso. Perto de mim, as crianças e os jovens brincam com a areia e os adultos apanham o sol ou escondem-se debaixo dos guarda-sóis. Mais longe, alguns tomam banho. O ruido das ondas enche os meus ouvidos de sons e as águas do mar, em movimento constante, chegam até mim, cobrindo o meu corpo de espuma e areia fina. Mais tarde o mar serenou. Após alguns momentos, começo a correr pela praia fora com a cabeça erguida e os braços estendidos, à procura de abraçar alguém, para lhe manifestar a alegria, a paz e a felicidade, que iam no meu espírito. Antes do Sol se por, o Espírito levou-me para o alto-mar fonte de riqueza e de vida-, um barquinho a remos baloiçando pelos ventos e pelos ondas. À minha volta, só se mexiam a água e alguns cardumes de peixes, de várias cores e tamanhos, a passar para outros locais. Naqueles breves momentos, senti-me separado de tudo e de todos. O meu mundo era só água e firmamento! Senti a minha fragilidade e a força do poder de Deus. Pensei nos pescadores e noutros aventureiros do mar, nos piratas e descobridores, nos barcos que transportam riquezas de nação para nação e contaminam as águas e os peixes. Lembrei-me dos náufragos dos mares e refleti sobre a profundidade e as enormes  riquezas dos oceanos…À minha volta o silêncio era total. Os meus sentidos como uma esponja na água, absorviam e mergulhavam em inúmeras considerações e sensações diferentes, impossíveis de descrever e de narrar exactamente. A mais bela e existencial de todas elas foi o sentimento da presença e do poder do criador.
Comecei a louvá-Lo pelos mares profundos e pelas suas águas, pelos navios e seus navegantes e dizer-Lhe, com todas as energias do meu ser: “Neste momento como me sinto feliz, meu Criador! O meu espírito está cheio de enorme gratidão pele Tua criação, pelas águas dos oceanos, lagos, rios fontes, pelos peixes e todos os seres que neles vivem. Sinto-me, totalmente, dependente do Teu poder e das águas que Tu criaste.
Que elas Te louvem e catem, Meu Deus, em união comigo e toda a criação. Hoje, senti-Te, toquei-Te e descobri-Te, mais uma vez aqui neste mar imenso. Aleluia! Eu Te bendigo para sempre. Glória a Ti, meu Criador e Senhor das águas e dos mares!...

  

sábado, 19 de julho de 2014

O QUE A FALTA DE FÉ PODE CAUSAR:

PÂNICO E TEMPESTADE. POR FALTA DE FÉ OUVE FOME NO DESERTO
A FALTA DE FÉ TRAZ-NOS CADA VEZ MAIS DIFICULDADES E AFASTA-NOS CADA VEZ MAIS DE DEUS. SEM FÉ É IMPOSSÍVEL VIVER EM PAZ, ANDAMOS À DERIVA SEM RUMO.
TODA A GENTE QUE QUER SEGUIR O CAMINHOS DE DEUS, SABE O QUANTO É DIFÍCIL. TEMOS QUE ABDICAR DE MUITA COISA, ÀS VEZES DE COISAS BANAIS MAS QUE CUSTA FAZER. Havia uma voluntária numa associação que distribuía bens às famílias mais carenciadas, como os pedidos eram muitos, e os donativos que havia não dava para as necessidades, então ela pensou: se eu for ao banco alimentar pedir em nome da associação eu vou conseguir. Levou muitos nãos, gastou muita gasolina a correr para lá, mas sempre acreditou que ia conseguir e conseguiu, uma coisa que já muita gente tinha tentado e não conseguia porque não eram persistentes e desanimavam. TER fé é isto mesmo, é acreditar que há alguém que está do nosso lado nos ajuda e nos dá forças para conseguirmos os nossos objectivos.
ORAÇÃO……Ó SENHOR, PEÇO-VOS PERDÃO POR TODAS AS VEZES EM QUE FOI INCRÉDULO
 E NÃO PERMITI QUE VOSSA MÃO PODEROSA CONDUZISSE A MINHA VIDA. AGORA MEUS JESUS,PELO EXEMPLO DE SÃO TOMÉ, COLOCO-ME AOS VOSSOS PÉS E CLAMO COM TODO AMOR DEVOÇÃO E CONFIANÇA:
MEU SENHOR, E MEU DEUS.


.

terça-feira, 20 de maio de 2014

         CONDUZIDOS PELO ESPÍRITO

Maria mãe da Igreja.
Os Apóstolos e os diáconos, na Igreja de Jerusalém, sentiam a urgência de anunciar o evangelho em toda a parte. Aliás, Jesus dissera-o na última vez que tinha  estado com eles: «Ide por todo mundo e anunciai o Evangelho a toda a criatura.»(MT 28,19) Filipe, diácono entendeu esta urgência do anúncio e foi até à região de Samaria onde criou uma pequena comunidade cristã. A Boa nova da Ressurreição de Cristo foi anunciada e muitos aderiram à mensagem do Evangelho. Surpreendidos com o entusiasmo da comunidade da Samaria, os Apóstolos pediram a Pedro e a João que fossem levar o Espírito Santo aos membros desta comunidade que estava a nascer. De facto, não é possível construir assembleia cristã sem o sopro do Espírito Santo. O Espírito Santo ilumina os crentes, estabelece laços de amor entre as pessoas e é o vínculo da unidade. Com razão Paulo na carta aos Romanos diz, com toda a clareza: “Só os que se deixam conduzir pelo Espírito são de verdade filhos de Deus”. Poderá perguntar-se qual o papel do Espírito Santo nas comunidades cristãs. A resposta é-nos dada por Jesus, quando no discurso da Ceia, ao afirmar que vai partir, imediatamente garante aos discípulos que não os deixará órfãos. Jesus enviar-lhes-á o Espírito Santo, o Consolador, o Paráclito, o que está sempre ao seu lado para os defender. Jesus chega mesmo a dizer que o Espírito Santo dirá aos Apóstolos tudo o que Ele não teve tempo de lhes dizer e simultaneamente, recordar-lhes-á o que lhes foi dito e eventualmente tenham esquecido. A presença do Espírito Santo nas comunidades cristãs é elemento fundamental para cada um crescer na fé e todos se comprometerem na transformação do mundo. É animados pelo Espírito Santo que os cristãos dão a todos a razão da sua esperança, se mantém serenos no tempo da perseguição, contribuem sempre para o bem comum e proclamam Cristo Ressuscitado. Sem a influência do Espírito Santo na vida da Igreja não seria possível à mesma Igreja contribuir tão fortemente para a constante renovação do mundo, Sem a presença do Espírito Santo na vida de cada Cristão não seria possível a cada um superar as dificuldades, crescer na fé e aproximar-se da santidade desejada. Por isso deve-se rezar muitas vezes ao Espírito Santo:” Vem Espírito Santo."

sábado, 12 de abril de 2014

                       DOMINGO DE RAMOS
O Domingo Ramos abre por excelência a Semana Santa.
Relembramos a entrada triunfal de Jesus Cristo em Jerusalém, poucos dias depois de sofrer a paixão Morte e Ressurreição. Este Domingo chama-se assim porque o povo cortou ramos de palmeiras  para cobrir o chão por onde Jesus ia passar montado num jumentinho. Com ramos de palmeiras nas mãos o povo aclamava Jesus dizendo:

“Rei dos Judeus”, Ó Hossana o Filho de Davi”, E assim Jesus entra triunfante em Jerusalém despertando nos sacerdotes e mestres da Lei, muita inveja desconfiança, medo de perderem o poder. A partir daí os poderosos começaram a pensar o que haviam de fazer para tramar Jesus. Então essa multidão que tinham aclamado Jesus poucos dias depois, manipulados pelas autoridades poderosas, acusavam Jesus de impostor de blasfemador, de falso Messias. E incitados pelos Sacerdotes e Mestres da Lei, exigiam de Pôncio Pilatos que condenassem Jesus à morte pregado na Cruz.
Nós católicos devíamos reflectir bastante sobre o Domingo de Ramos.
Não é assim que depois de 2000 anos a cena se repete?
Quantas vezes as pessoas que hoje nos elogiam, nos abraçam e nos dão palmadinhas nas costas, são aqueles que à manhã, fazem de tudo para nos tramar?
POBRE DE NÓS PECADORES, QUE O NOSSO REDENTOR TENHA MISERICORDIOSA DE NÓS.
Desejo a todos bloguistas uma SANTA PASCOA.