quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

                               NATAL
Natal somos nós quando decidimos nascer de novo, a cada dia, nos transformando. Somos o pinheiro de natal quando resistimos vigorosamente aos tropeças da caminhada. Somos os enfeites de natal quando as nossas virtudes, e nossos atos, são cores que adornam. Somos os sinos de natal, quando chamamos, congregamos e procuramos unir. Somos luzes de natal quando simplificamos e damos soluções. Somos presépios de natal quando nos tornamos pobres para enriquecimento de todos. Somos anjos de natal quando cantamos ao mundo o amor e a alegria. Somos pastores de natal quando enchermos os nossos corações vazios com aquele que tudo tem. Somos estrelas de natal, quando conduzimos alguém ao Senhor. Somos os Reis Magos, quando damos o que temos de melhor não importando a quem. Somos as velas de natal quando distribuímos harmonia por onde passamos. Somos pai natal, quando criamos lindos sonhos nas mentes infantis. Somos os presentes de natal quando somos verdadeiros amigos para todos. Somos cartões de natal, quando a bondade está escrita nas nossas mãos. Somos missas de natal, quando nos tornamos louvor oferenda e comunhão. Somos as ceias de natal, quando saciamos de pão de esperança, qualquer pobre do nosso lado. Somos as festas de natal quando despimos o luto e nos vestimos de gala. Somos sim, noite feliz de natal, quando humildemente e conscientemente, mesmo sem símbolos e aparatos, sorrimos com confiança e ternura na contemplação interior de um natal perene que estabelece o Reino de DEUS em nós.
OBRIGADA JESUS! PELA VOSSA LUZ PERDÃO E COMPREENSÃO. Desejo a todos que visitam o meu blogue um SANTO NATAL, E UM ANO DE 2013 CHEIO DE BENÇÃOS DE DEUS.
 



sexta-feira, 16 de novembro de 2012

               FESTA DE CRISTO REI
 A festa de Cristo Rei põe fim ao Ano Litúrgico B, e dá início ao ano litúrgico C.
A celebração, fechando o Ano Litúrgico, traz para nós Cristãos a reflexão em torno da vida de Jesus que significa para nós a salvação, onde impera no mundo o pecado.
Pilatos pergunta a Jesus se ele é rei, e ELE responde que seu reino não é deste mundo de injustiça, ódio, morte e dor. Ele é do reino de seu Pai que como pastor, guia a sua Igreja neste mundo para o reino celeste. Por isso, fazer parte desse Reino é fazer comunhão com Ele, transformar o mundo em que vivemos.
Jesus Cristo é rei e pastor que nos leva ao Reino de Deus, que nos tira das trevas do erro e do pecado, que nos guia para a plena comunhão com o Pai pelo amor. Jesus nos aponta como “Caminho, Verdade e Vida”(Jo 14,6) para que possamos imitá-lo mesmo diante de nossas fraquezas e medos, morrer com Ele para participarmos de sua vitória.
Olhando o nosso mundo, vemos o sofrimento de tantos irmãos que trazem consigo a cruz de Cristo, como sinal de vitória e de redenção do mundo. Mesmo diante das nossas aflições, angustias e injustiças, não podemos ser derrotados, mesmo quando estivermos sozinhos, quando nos sentimos abandonados como os discípulos abandonaram Jesus. Portanto a amargura não poderá tomar conta de nosso coração. Não podemos querer entender a Deus em seu mistério, nem duvidar de seu amor para com todos, mas acolher tudo por amor a Deus, como festa de um grande banquete do qual um dia participaremos na eternidade.
Bem-aventurados  aqueles que sofrem, de perseguição e padecem todo tipo  de injustiças, pois como servo bom e fiel, um dia acolhido por Jesus na mesa do Reino, será bendito. E Ele passando servirá aqueles que souberam viver a justiça, a caridade e fazer o bem na vida dos irmãos.
É agora a promessa de Jesus para nós, filhos benditos do Pai: sua realeza não é deste mundo, por isso devemos anunciar a verdade libertando os homens do pecado, dando-lhes uma verdadeira conversão do coração. Jesus é testemunha fiel da verdade. Veio revelar com a própria vida o grande sacrifício da cruz da sua paixão e morte por amor, nessa mesma cruz pela qual Ele atrairá todos ao seu coração. Tudo por amor, fonte primeira de união com Deus. Ele desfaz as injustiças em liberdade, tornando grande o sacerdócio do povo santo de Deus em que cada se santifica no mundo. Ser cristão é construir o Reino de Cristo no mundo através do serviço gratuito e fraterno, humilde, deixando-se fazer a vontade do Pai. Você estás disposto a fazer acontecer o Reino? De que maneira?  

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

           DIA DE TODOS OS SANTOS
A solenidade de todos os Santos é a comemoração de todos os fiéis Defuntos espontaneamente elevam o nosso pensamento e nosso coração para lá onde, também nós um dia, estaremos. Trazemos no nosso íntimo, no mais profundo do nosso ser, o desejo do céu, e de sermos felizes. A plenitude da felicidade acontece na contemplação de Deus face a face, na conquista da vida eterna. Não basta sentir saudades de Deus, não basta ter saudades do céu, não basta experimentar o desejo de ir para o céu. É preciso algo mais. Ao longo da nossa peregrinação de volta para a Casa do Pai, é necessário ter a coragem de usar a nossa liberdade. A liberdade deve ser uma conquista diária para o bem. A todo instante somos convidados a fazer o mal e solicitados a praticar o bem. O maligno usa todos os meios possíveis para nos desviar do caminho da felicidade. A sua maior vitória consiste em levar as almas para longe de Deus. Sabemos que algo há que nos desvia do bem, então há que ter a coragem e força para combater esse algo que nos impede de fazermos o bem. Não podemos ficar indiferentes diante dos artifícios do autor do pecado. Jesus passou pelo mundo libertando os possessos e curando toda a sorte de enfermidades. Cabe a nós dar continuidade a essa missão. Quem sabe não estejamos entre os que não reconheceram ou não acolheram ou não aderiram a Jesus Cristo… E sim, entre os indiferentes, covardes, medrosos, omissos, isto é entre os que não se apercebem de que o Mal realmente existe em nós, no mundo e na Igreja. Cristo venceu o poder do inimigo, o maior obstáculo à felicidade, derrotou a fonte de todo o mal que é o pecado. Rezando ao Pai: “ não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos de todo o mal “,também nós podemos levar uma vida livre do pecado, uma vida santa. Assim a festa de todos os Santos é um convite à santidade, a sermos perfeitos como o Pai do Céu é perfeito. De nada adiantará nosso peregrinar, isto é, nossa vida não terá sentido, se os nossos nomes não estiverem escritos nos céus.
Que todos os Santos intercedam por todos nós, para que um dia todos juntos possamos cantar ao Pai os seus louvores para todo sempre.        

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

                      ANO DE FÉ.
No dia 11 de Outubro iniciou-se o Ano da Fé convocado pelo Papa Bento XVI e seu encerramento acontecerá na Festa de Cristo Rei do Universo, em 24 de Novembro de Dois Mil e Treze. O dia onze de Outubro coincide com a comemoração dos 50 anos da abertura do Concilio Vaticano II, além dos 20 anos da publicação da atual versão do Catecismo da Igreja Católica.
O Papa analisa que nos dias de hoje mais do que no passado, a fé vê-se sujeita a uma séria de interrogativos, que provêm de uma mentalidade que reduz o âmbito das certezas racionais ao das conquistas científicas e tecnológicas.”Mas Igreja nunca teve medo de mostrar que não é possível haver qualquer conflito entre a  fé e ciência autentica, porque ambas tendem, embora por caminhos diferentes, para a verdade “,ensina.
Da mesma forma, o professor com a boca indica que a fé implica um testemunho e um compromisso públicos.”O cristão não pode jamais pensar que o crer seja um fato privado. A fé é decidir estar com o Senhor, para viver com Ele.” E este estar com Ele” introduz na compreensão das razões pelas quais se acredita. A fé precisamente porque é um ato de liberdade, exige também assumir a responsabilidade social daquilo que se acredita”. A renovação da Igreja realiza-se também através do testemunho prestado pela vida dos crentes: “de fato, os cristãos são chamados a fazer brilhar, com a sua própria vida no mundo, a palavra de verdade que o Senhor Jesus nos deixou”, adverte.
“Por isso, também hoje é necessário um empenho eclesial mais convicto a favor de uma nova evangelização. Para descobrir de novo a alegria crer e reencontrar o entusiasmo de comunicar a fé. Na descoberta diária do seu amor, ganha força e vigor o compromisso missionário dos crentes, que jamais pode faltar. Com efeito, a fé cresce quando é vivida como experiência de um amor recebido e é comunicada como experiência de graça e de alegria. A fé torna-nos fecundos, porque alarga o coração com a esperança e permite oferecer um testemunho que é capaz de gerar.
Só acreditando é que a fé cresce e se revigora; não há outra possibilidade de adquirir certeza sobre a própria vida, senão abandonar-se progressivamente nas mãos de um amor que se experimenta cada vez maior porque tem a sua origem em Deus.
Neste ano da fé será uma ocasião propícia para intensificar o testemunho da caridade. A fé sem caridade não dá fruto, e a caridade sem fé seria um sentimento constantemente à mercê da dúvida. Fé e caridade reclamam-se mutuamente, de tal modo que uma consente à outra de realizar o seu caminho.
  

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

         JÓ FALA A SEUS AMIGOS
Na verdade, eu sei muito bem que é assim: como pode um homem ter razão contra Deus? Se ele quisesse discutir com Deus, nem uma vez em mil poderia responder-lhe. O coração de Deus é sábio, a sua força é grande: quem se Lhe opôs e saiu ileso? Ele desloca as montanhas sem elas saberem e as derruba no seu furor. Sacode os alicerces da terra e abala as suas colunas. Dá ordens ao sol e ele não nasce e põe um selo sobre as estrelas. Sozinho Ele estende os céus e caminha sobre as ondas do mar. Criou a Ursa Maior e o Orion,as Plêiades e as constelações do Sul. Faz prodígios insondáveis e maravilhas sem conta. Se vier junto de mim, não o vejo, se passar a meu lado não O sinto. Se apanhar uma presa, quem Lho impedirá? Quem Lhe dirá:” Que estais a fazer?” Como iria eu então responder-Lhe e encontrar argumentos contra Ele? Embora eu tivesse razão, não devo replicar, só tenho de implorar Àquele que é meu juiz. Ainda que eu O chamasse e Ele me respondesse, não tenho a certeza de que escutasse a minha voz.»

Esta leitura do livro de Jó, mostra-nos muito bem o quanto é grande o poder do nosso Deus. Ele tem o controle de todo o universo Ele é o Deus do impossível. AO NOSSO DEUS HONRA E GLÓRIA PARA SEMPRE.       

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

                 PAI DOS POBRES
São Vicente de Paulo foi o criador de muitas obras de amor e caridade. Sua vida é uma história de doação aos irmãos mais pobres e de amor a Deus. Existem diversas biografias suas, mas sabemos que nenhuma delas conseguirá descrever com total fidelidade o amor que tinha por seus irmãos necessitados. Muitos acham que a maior virtude de São Vicente de Paulo é a caridade, mas a sua humildade suplantava essa virtude. Sempre buscava o bem da Igreja. São Vicente de Paulo foi o pai dos pobres e um reformador do clero. Basta dizer que as conferências Vicentinas, fundadas por António Frederico Ozanam e seus companheiros, em 23 de Abril de 1833,foram inspiradas por ele. Espalhadas no mundo inteiro, vivem permanentemente de seus exemplos e ensinamentos.
Segundo São Francisco de Sales, São Vicente de Paulo era o “padre mais santo do século”. Faleceu em 27 de Setembro de 1660 e foi sepultado na capela-mãe da igreja de São Lázaro, em Paris. Foi canonizado pelo Papa Clemente XII em 16 de Junho de 1737. Em 12 de Maio de 1885 é declarado patrono de todas as obras de caridade da Igreja Católica, por Leão XIII.
SÃO VICENTE DE PAULO TU QUE FOSTE PAI DE TODOS OS POBRES, ROGAI POR NÓS E AJUDAI TODAS AS PESSOAS QUE HOJE SÃO CARANCIADAS DE PÃO PARA O CORPO E PARA A ALMA.     

domingo, 23 de setembro de 2012

SER CRISTÃO EXIGE A RADICALIDADE
Este Domingo dia 23 XXV do Tempo Comum a Palavra de Deus convida-nos ir à procura do essencial. Não basta dizer que se é cristão. Importa o que nos torna cristãos. A resposta aparece em três dimensões: viver na justiça supõe enfrentar e vencer todas as situações de impiedade. O Livro da Sabedoria chega a dizer que os ímpios provocam os justos, numa tentativa de que se afastem da justiça. O cristão porém aceita identificar-se com Deus.
Procurar a reconciliação é a preposta de São Tiago. Deixar as guerras, vencer as rivalidades, procurar a paz em todas as circunstâncias, é o caminho normal do cristão comprometido. Foi o próprio Jesus quem o disse ao enviar os setenta e dois discípulos a todas as cidades: “Em qualquer casa onde entrardes dai a paz”. É missão do cristão conseguir a reconciliação. Tudo isto porem, só é possível numa certa radicalidade. Se o Filho do Homem veio para morrer e ressuscitar, cada cristão para segui-Lo, têm de levar a sua cruz e ter o espirito simples como o das crianças.       

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

  MEU NOME É ESPERANÇA
Quando a dor chegar para você, serei a promessa de alívio e renovação. Se o cenário se converter em noite escura, serei a Estrela-Guia para o rumo certo. Quando a fadiga se apresentar, serei o abrigo seguro e específico. Quando os conflitos se fizerem presentes serei a indicação para a calma e a fraternidade. Em todos os momentos, desejo ser sua companheira fiel.
Sou amiga de todos, embora quase sempre encontre guarida entre os crentes e os idealistas.
Hoje bato à porta. Não me recuse morada em seu coração.
Onde chego, renovo os pensamentos e vivifico a certeza no futuro melhor. Sou irmã do otimismo e filha da confiança de Deus.
Agora sou também sua irmã. Dê-me a sua mão venha comigo.
O MEU NOME É ESPERANÇA.     

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

       SANTUÁRIO DE NOSSA SENHORA DOS REMÉDIOS
Santuário de Nossa Senhora dos Remédios em Lamego, começou a ser construído em 1750, e terminou em1905. Ocupando o monte onde existiu desde o século XIV,uma capela dedicada a Santo Estêvão. A capela ameaçava ruina e foi mandada construir uma nova Igreja, pelo bispo da cidade, onde foi colocada também a imagem da virgem com o menino ao colo. Com o tempo, a devoção a Santo Estêvão foi decaindo e cresceu a dedicação à virgem, que era o alvo das preces de quem padecia de males e necessitava da ajuda, dando origem desta forma à devoção à Senhora dos Remédios. Este santuário, cujas as festas principais se realizam nos dias seis a oito de Setembro, tem fachada do templo com marcas de estilo barroco, é ladeada por torres sineiras, no interior o altar-mor ostenta a imagem de Nossa Senhora dos Remédios, esculpida em madeira, e três vitrais com as imagens de Nossa Senhora da Conceição, do Sagrado Coração de Jesus e da Anunciação. Os altares laterais são dedicados aos pais da virgem, as paredes são cobertas por azulejos com imagens da vida da virgem. A escadaria de acesso ao santuário, com 686 degraus, que são subidos por muitos de votos de Nossa Senhora dos Remédios de joelhos, até ao santuário. Tem vários patamares onde se encontram os reis de Israel, e na base da escadaria, quatro figuras representam as quatro estações do ano.
QUE NOSSA SENHORA DOS REMÉDIOS INTERCEDA AO SEU DIVINO FILHO POR TODOS NÓS. 

sábado, 1 de setembro de 2012

SETEMBRO MÊS DA BÌBLIA

                  SETEMBRO MÊS DA BÍBLIA
Este mês foi escolhido pela Igreja porque no dia 30 é o dia de São jerónimo (ele nasceu no ano de 340 e faleceu em 420 dc.) São Jerónimo foi um grande biblista foi ele quem traduziu a Bíblia dos originais (Hebraico e grego) para o latim que naquela época era a língua falada no mundo e usada na liturgia da Igreja. A Bíblia é hoje o único livro que está traduzida praticamente em todas as línguas do mundo e que está em quase todas as casas. Serve de” alimento espiritual “para a Igreja e para as pessoas e ajuda o povo de Deus na sua caminhada em busca de construir um mundo melhor.
Senhor, Tua Palavra é lâmpada para os meus pés luz para o meu caminho! (Salmo 119, 105)   

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

JOÃO 12: 32

                             JOÃO 12: 32
Jesus Cristo é o único que pode implantar no coração inimizade contra o pecado. Todo o desejo pela verdade e pureza, cada convicção da nossa própria pecaminosidade, é uma evidência de que o Seu Espirito está a agir no nosso coração. Jesus disse: “E Eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a Mim.”João 12:32. Cristo deve ser revelado ao pecador como Salvador que morreu pelos pecados do mundo; e ao contemplarmos o cordeiro de Deus sobre a cruz do Calvário, o mistério da redenção começa a desvendar-se à nossa mente e a bondade de Deus conduz-nos ao arrependimento. Ao morrer pelos pecadores, Cristo manifestou um amor que é incompreensível; quando o pecador observa e sente este amor, o coração fica suavizado, a mente impressionada e a alma influenciada por ele. É verdade que os homens às vezes se envergonham dos seus maus atos, e abandonam alguns dos seus maus hábitos antes de estarem conscientes de que estão a ser atraídos para Cristo. Mas sempre que fazem um esforço para se reformarem, a partir de um sincero desejo de procederem corretamente,é o poder de Cristo que os está a atraír. Uma influência, da qual estão inconscientes, opera na alma, e a consciência é despertada, e a vida exterior é corrigida. E quando Cristo os leva a olhar a Sua Cruz, para contemplarem Aquele que os seus pecados ali cravaram, os mandamentos tocam a sua consciência. A maldade da sua vida, o pecado enraizado no coração, é-lhes reveladao. Começam a compreender algo da justiça de Cristo e exclamam: “O que é o pecado, que devesse requerer um tal sacrifício para a redenção das suas vítimas? Foi requerido todo este amor, todo este sofrimento, toda esta humilhação, para que não perecêssemos, mas tivéssemos vida eterna?”O pecador pode resistir a este amor, pode recusar ser traído para Cristo; mas, se não resistir, será atraído para Jesus. Um conhecimento do plano da salvação conduzi-lo-á para ao pé da Cruz em arrependimento pelos seus pecados, que causaram o sofrimento do querido Filho de Deus. Que o Senhor nos dê um forte arrependimento dos nossos pecados, para que um dia a nossa casa seja a casa onde Jesus habita.         

domingo, 12 de agosto de 2012

O DESÂNIMO DE ELIAS

 Ser cristão exige um caminho constante para atingir a perfeição a que Deus chama. É claro que podem surgir desânimos. É normal ter consciência das próprias imperfeições; faz parte da vida aceitar os limites que a vida humana contém. É dentro destas normais dificuldades que muitas vezes surge o desânimo. Aconteceu com o profeta Elias. O Senhor deu-lhe porém, o alimento retemperador e ele pôde caminhar quarenta dias até ao Monte Horeb. O mesmo acontece com o cristão, tem de se libertar de toda a maldade, revestindo-se de todos os bem espirituais, a bondade a compaixão, a capacidade de perdoar, a caridade, com tudo isto será mais fácil caminhar seguro para o projeto que a cada um Deus quer oferecer. O alimento por excelência, porém é o Pão da vida. Puderam os que rodeavam Jesus, não compreender, podem hoje os que estão próximos dos cristãos não o aceitarem. O Pão do céu isto é, o Corpo e Sangue de Jesus, são o alimento indispensável para a fidelidade ao projeto de Deus. Acreditar em Jesus Cristo e participar n,Ele na Eucaristia são fonte de fidelidade plena em todos os caminhos

domingo, 5 de agosto de 2012

EU SOU PÃO DA VIDA

                                                             EU SOU O PÃO DA VIDA
O capítulo 6 de São João faz a promessa da Eucaristia. Se os peregrinos do deserto foram alimentados com o maná, os cristãos serão alimentados com o Novo Pão descido do céu. Jesus poderá dizer «o Meu Corpo é verdadeira comida». A partir desta promessa os cristãos sabem que se podem alimentar do Corpo de Cristo. E têm uma garantia se o povo hebreu comeu do maná e morreu, quem comer do corpo do Senhor viverá eternamente. A Eucaristia, isto é, o corpo e sangue de Jesus, está no centro de toda a espiritualidade cristã. É um alimento que dá uma nova vida. Com razão, Jesus pode dizer: «Eu Sou o Pão da Vida; quem comer deste Pão viverá eternamente.» Alimentados com o Corpo e o Sangue de Jesus, os cristãos são convidados a serem homens novos. Não podem viver como os pagãos, mergulhados na futilidade dos seus pensamentos, têm de se renovar no Espirito e na verdade. O homem novo sê-lo-á na justiça e na santidade verdadeira. A justiça permite-lhe uma relação nova com todos os outros, a santidade garante-lhe «a plena e perfeita comunhão com Cristo»    
               

sexta-feira, 27 de julho de 2012

BEM-AVENTURANÇAS DA AMIZADE

                   Bem-Aventuranças da Amizade
Felizes são todos aqueles que souberem partilhar as suas inquietudes e ilusões; seus fracassos, porque sabem fazer comunidade. Felizes são todos aqueles que sabem comprometer-se com a realidade que os rodeia e consigam transformar um mundo melhor para que desenvolvam a felicidade a pessoas que vivam com falta dela. Felizes são todos aqueles que em grupo, dedicam parte do seu tempo para alegrar e fazer felizes os mais pequenos, às crianças, porque assim estão ajudar a criar um mundo melhor. Felizes são aqueles que descobrirem que a vida não se pode viver só, que necessitam de ter companhia e darem-se aos demais, porque a amizade será aquilo que os fará sentir alegres. Felizes são todos os que todos juntos se propõem a trabalhar por aquelas pessoas tão distantes de nós mas em simultaneamente tão necessitados, pois assim mostram ao mundo que amizade não tem fronteiras. Felizes são todos aqueles que se propõem a trabalhar juntos e sabem partilhar o fruto do seu trabalho com outras pessoas. Felizes são todos aqueles que formando grupos de amigos, querem dedicar parte do seu trabalho para alegrar e tornar mais vivas as celebrações cristãs, porque do mesmo modo que contribuem para tornar Deus mais presente entre os que nos rodeiam, também Ele se fará igualmente presente nas suas vidas.    
Senhor, que grande é a amizade que bom ter amigos! Tu mesmo Senhor Jesus, nos disseste que não eramos servos teus mas amigos, quando o disseste aos teus discípulos. Quero Senhor viver a minha vida entre amigos mas quero Senhor que sejas TU, ajudar-me a encontrar amigos sinceros, o que mais desejo é que as minhas amizades não me afastem do Teu lado. Quero ter-Te a Ti e tê-los a eles, ser teu amigo e amigo dos meus amigos.
Ajuda-me Senhor a merecer a Tua amizade.
Ajuda-me Senhor, a nunca falhar Contigo.
Ajuda-me Senhor a dar carinho e amor, e a entregar-me ao grupo em que estou integrado para que assim mereça ser chamado de verdadeiro ((Amigo)).   

domingo, 22 de julho de 2012

DIA DO BOM PASTOR

Hoje dia do bom pastor é o dia ideal para lembrar os cinquenta anos de Sacerdócio do Sr. Padre Roriz. Ao lado está o Sr. Padre Daniel que ficou a Paroquiar a Paróquia de Folgosa Maia. O Sr. Padre Daniel apesar de já ter saído da Paróquia há seis anos continua no coração daqueles que conviveram com Ele e de tantas pessoas de tantos lados, que se deslocavam para assistirem às suas Eucaristias. As suas homílias preenchiam os nossos corações, pois com o Dom que Deus lhe deu, de ser um verdadeiro Pastor da Igreja Católica, fazia com que as suas ovelhas com ansiedade esperassem os dias das próximas celebrações. Foi assim durante três anos. Até que um dia, o que era bom tornou-se um pesadelo para todos quantos gostavam Dele, como Sacerdote, como amigo, como conselheiro. Pois Ele era o Pastor que o Senhor pôs no caminho para guardar as suas ovelhas. Escusado será dizer que muitas pessoas abandonaram a Igreja, até ao dia do reencontro. As ovelhas que ficaram tresmalhadas, quisera os Senhor, que encontrassem de novo o seu Pastor. E a partir do encontro nunca mais largaram aquele que tantas vezes deu alegria aos corações sem rumo, explicando como Ele tão bem sabe fazer, o quanto Deus nos ama. (( AI do pastor que não cuida das suas ovelhas (( DIZ O SENHOR)).
Os grandes responsáveis pela Igreja Católica estarão a cuidar bem dos seus rebanhos escorraçando os seus pastores que nada mais quer senão dar a conhecer a palavra de DEUS?
Qual será o futuro da nossa Igreja católica? Senhores responsáveis pelas Dioceses, e Vigararias,os tempos evoluíram os nossos jovens não são os da minha geração, em que íamos à Igreja porque os nossos pais nos obrigavam e sabem por quê? Porque as celebrações davam para dormir. Os jovens gostam de entrar numa Igreja e ver alegria precisam de Sacerdotes que convivam com eles.Ifelismente os Sacerdotes que tem esse crisma, são retirados da Igreja .
QUE O BOM PASTOR NOSSO SENHOR JESUS CRISTO ilumine os responsáveis pela nossa igreja para que Ela seja uma Igreja cheia de alegria pois o nosso DEUS É ALEGRE E NA SUA CASA QUER QUE TODOS SEJAMOS ACOLHIDOS O MELHOR POSSIVEL POR AQUELES A QUEM ELE CONFIOU O SEU REBANHO.     

segunda-feira, 16 de julho de 2012

No dia 16 de julho de 1251, São Simão Stock suplicava a Nossa Senhora ajuda para resolver um problema da Ordem Carmelita, da qual era o Prior Geral. Enquanto ele rezava, a Virgem apareceu-lhe, trazendo o Escapulário nas mãos, e disse essas confortadoras palavras: “filho diletíssimo, recebe o Escapulário da tua Ordem, sinal especial da minha amizade fraterna, privilégio para ti e todos os carmelitas. Aqueles que morrerem com este Escapulário não padecerão do fogo do inferno. É sinal de salvação, amparo e proteção nos perigos, e alianças de paz para sempre”. A Igreja assumiu o Escapulário e fez dele uma das devoções mais difundidas entre o povo de Deus.
Nesta época de superstições, não é supérfluo esclarecer que o Escapulário está longe de ser um sinal “mágico” de salvação, não é uma espécie de amuleto cujo uso nos dispensa das exigências do cumprimento da palavra de Deus. Não basta por ao pescoço o Escapulário e dizer: estou salvo! É verdade que Nossa Senhora não pôs condição alguma ao fazer a sua promessa. Simplesmente afirma: “Quem morrer com o Escapulário não padecerá do fogo do inferno”. Não obstante, para beneficiar-se deste privilégio, é preciso usar o Escapulário com esta intenção. Se na hora da morte a pessoa estiver em pecado, Nossa Senhora providenciara de alguma forma, que ela se arrependa e receba os Sacramentos. E visto a misericórdia da Mãe de Deus mostra-se verdadeiramente insondável! Há alguns exemplos que atestam essa verdade. Um certo dia um jovem andava de bicicleta e de repente, foi surpreendido por um automóvel que ia contra ele, o jovem agarrou o Escapulário com toda a fé que trazia no peito, e disse: Ajudai-me minha Nossa Senhora do Carmo. E nesse momento como que por um sopro ele foi desviado do perigo. O jovem exclamou:” obrigada minha Mãe”. Este espaço torna-se muito pequeno para falar de tantos benefícios que são atribuídos á queles que usarem o Escapulário com fé. O Escapulário depois de benzida a sua imposição será por um Sacerdote ou por um Diácono. A festa de Nossa Senhora do Carmo é precisamente no dia 16 de Julho.
ORAÇÃO A BEATISSIMA VIGEM DO CARMO.
Oh! Piedosíssima Virgem! Vós que nove séculos antes de existires  foste vista em profecia pelo servo de Deus São Elias, e venerada por seus filhos no Carmelo.Vós que vos dignastes visita-los  e lhes dispensastes celestiais alegrias… Vós que sempre pela virtuosa família que teve por Superior o vosso estimado filho São Simão Stock Vós, que engrandeces-te a Ordem com a estimável prenda do Santo Escapulário, Vós que de tantas maneiras haveis demonstrado vosso carinhoso  amor aos carmelitas e seus devotos, recebei meu coração ardente de fervoroso entusiasmo dado a mais pura das criaturas e à mais amorosa das mães. Não permitais, Senhora, que o leão rugente assuste meu espirito no caminho da perfeição, e fazei que consiga subir á glória, como o haveis alcançado de vosso Divino Filho Jesus para os que invocarem com fé e imitando vossas virtudes, morreram plenamente com a vossa proteção. Amem.    



quarta-feira, 4 de julho de 2012

IDE POR TODO O MUNDO E PREGAI O EVANGELHO

Add caption
Uma pequena criança, que vivia na rua, ouviu de um dos colegas de infortúnio: “Se Deus te ama porque não cuida de ti? Porque não manda alguém te trazer umas calças novas um casaco e uma comida melhor?”O menino pensou por alguns instantes, é com as lagrimas no rosto respondeu. “Eu creio que ELE mandou alguém, mas esse alguém esqueceu-se.”O plano de Deus é cuidar de todos, usado para isso os seus discípulos. Muitas pessoas estão hoje, a necessitar urgentemente de cuidados especiais. São pessoas angustiadas, tristes, desiludidas. Deus quer cuidar delas, e para isso conta comigo conta contigo. E o que temos feito? Deus nos mandou amar o nosso próximo como a nós mesmos. Temos feito isso? Há pessoas que andam na rua sem rumo há espera que lhes levemos as calças da fé, o casaco quente do amor, o alimento para as suas vidas espirituais famintas. Eles esperam por nós… ansiosos… e vamos insistir em esquecer do que Deus nos mandou fazer? Às vezes pensamos que uma vida com Deus consiste apenas em ir à Igreja, cantar no coro, entregar uma oferta no culto semanal e… mais nada! E os que estão fora da Igreja? E os perdidos? E os cansados e oprimidos? Ser cristão dentro do templo é fácil, cómodo agradável. Mas Jesus não nos disse “entrai na Igreja e sentai-vos “e sim “Ide por todo o mundo e pregai o evangelho”. Pregar não se resume a palavras, mas sim também a atitudes.
TÚ TENS CUMPRIDO TOTALMENTE A PALAVRA DE DEUS OU TE ESQUECES-TE DE ALGUMA COISA? E EU……?       (( AJUDA-ME SENHOR! PORQUE SEM A TUA AJUDA EU NADA CONSIGO FAZER.))
 
  




quarta-feira, 27 de junho de 2012

São Pedro, pescador Apostolo,e primeiro Papa.

São Pedro, cujo nome de nascimento era Simão, nasceu em Betsaida na Galileia. Filho de Jonas, era pescador e casado. André seu irmão, encontrou Jesus e comentou com Pedro, que significa pedra, rocha. A partir deste dia, Pedro deixou de ser pescador de pexes para ser pescadores de homens. Pedro tinha temperamento impulsivo, mas uma imensa generosidade e um grande amor ao Mestre. E Jesus coloca-o em evidência sempre marcando-o como o futuro chefe da Igreja. Em Cesareia de Filipe, Jesus disse a Pedro: “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Dar-te-ei as chaves do reino dos céus, e tudo que ligares sobre a terra será ligado também no céu, e tudo que desligares na terra será também desligado no céu. Os primeiros 10 capítulos dos atos dos apóstolos descrevem a atuação marcante do apóstolo Pedro, o grande líder da comunidade cristã após a morte, de Jesus integra Matias ao colégio dos apóstolos para substituir Judas: faz o primeiro discurso no dia de Pentecostes, convertendo 3 mil pessoas; e realiza o primeiro milagre, curando o homem coxo. Também é ele o primeiro a ser preso como responsável pela nova religião e quem convoca o primeiro concílio dos apóstolos, tomando a palavra no conclave.

Segundo a tradição, mais tarde Pedro foi para Antioquia, onde permaneceu sete anos na direção da Igreja, e de lá seguiu para Roma, onde permaneceu até a morte, em 29 de Junho do ano 67 quando foi crucificado de cabeça para baixo por não se achar digno de morrer como o seu Mestre. Foi sepultado onde hoje está a maior igreja do mundo: a Basílica do Vaticano.

Add caption

A Basílica de são Pedro é a maior Igreja de Cristandade ao longo da História.




quarta-feira, 20 de junho de 2012

AS FESTAS DE SÃO JOÃO


  As comemorações das festas de São João como toda gente sabe, ocorrem no mês de Junho a 24 data do nascimento de São João Batista primo de JESUS. Os historiadores acreditam que João teria nascido sete anos antes de Cristo. No dia do seu nascimento, sua mãe Isabel, teria mandado erguer um mastro iluminando-o com uma fogueira para que sua prima Maria, vendo aquele sinal, soubesse que seu bebé havia ter nascido. Daí teriam vindo as tradições de se acender fogueiras, erguem-se mastros em homenagem ao santo. A tradição conta também que Maria teria ido logo visitar o recém-nascido João Batista, levando-lhe como oferenda um feixe de folhas secas perfumadas, flores e uma capelinha, que hoje são também símbolos das festividades. Na noite de 23 para 24 ouve-se estalar foguetes levantam-se mastros lançam-se balões. Os mastros sustentam uma bandeira que pode ter dois formatos, em triângulo com a imagem dos três santos ou em forma de caixa, com apenas a figura de São João com o cordeirinho. Os balões há quem diga que tem como objetivo afugentar o inimigo. As fogueiras estão relacionadas com a teoria da purificação.  

MILAGRES DE SANTO ANTÓNIO

Diz a tradição que Santo António operou muitos milagres. Como por exemplo: Estava uma vez meditando à beira mar, os peixes ter-se-iam reunido a seus pés para o escutar. Teria restaurado um campo de trigo maduro para a colheita que fora devastado pela multidão que o seguia. Teria protegido milagrosamente seus ouvintes da chuva que caía durante um sermão, e uma mulher impedida pelo marido de ir ouvi-lo, pôde escuta-lo a quilómetros de distância. Outros milagres populares, como o do herege que não acreditava da presença de Deus vivo na hóstia consagrada. O herege disse que só acreditava se pusesse a mula presa sem comer durante três dias e depois de três dias soltava a mula e se a mula honrasse a presença de Deus vivo na hóstia consagrada em detrimento de uma ração de aveia, então aí acreditava. Assim que a mula foi liberta do seu cercado faminto, desviou-se da ração e ajoelhou-se diante da Hóstia consagrada que o Santo lhe mostrava. Restaurou o pé amputado de um jovem. Soprou na boca de um noviço, para expulsar as tentações que sofria confirmando-o em sua vocação. Quando hereges colocaram veneno na sua comida para verificar a sua santidade, o Santo fez o sinal da cruz sobre o alimento, comeu-o e nada sofreu, para vexame dos seus tentadores. Outro milagre famoso trata-se da aparição do Menino Jesus ao Santo durante as suas orações. Também é bastante conhecido um milagre ocorrido durante a sua pregação diante do Papa cardeais e clérigos, e gente de várias nações, quando com grande discernimento sobre algumas questões teológicas; todos ouviram a sua pregação na sua própria língua materna. Diante de tão assombroso fenómeno que parecia uma reedição do Pentecostes Bíblico, o papa o teria chamado de “Arca do testamento, arsenal da Sagrada Escritura.” Sobre Santo António muita coisa há a dizer! (Aceita-se oficialmente a data de seu nascimento de 15 de Agosto de 1195, e faleceu a 13 de Junho de 1231. Os seus restos mortais estão na basílica de Pádua. Foi proclamado Doutor da Igreja pelo Papa PIO XII em 16 de janeiro de 1946.
Santo António de Lisboa rogai por nós.    

domingo, 10 de junho de 2012

            DEIXA OS ESPINHOS EM PAZ
Muitos ao longo da vida, concentram-se nos seus erros, fracassos e desapontamentos, e enchem assim o coração de dor e desânimo. Uma Senhora que passava por uma crise destas, e que se encontrava profundamente angustiada, escreveu a alguém pedindo uma palavra de encorajamento. À noite antes de a pessoa a quem ela escreveu ter recebido a carta, sonhou que estava num jardim, e alguém que parecia ser o proprietário do jardim conduzia - a pelos seus caminhos. Ela colhia as flores e deleitava-se a sentir o seu aroma ela ia ao meu lado, chamou a minha atenção para algumas silvas invisíveis que estavam a impedir o seu caminho. Ali estava ela, lamentando-se e queixando-se. Não andava no caminho seguindo o guia, mas estava a caminhar por entre as silvas e os espinhos.”Ó, ”lamentava -se, “não é uma pena que este belo jardim esteja estragado com espinhos? “então o guia disse: “Deixa os espinhos em paz, pois eles só te vão magoar. Colhe as rosas, os lírios e os cravos.”Não tem havido ocasiões felizes na tua experiência? Não tens tido algumas ocasiões maravilhosas quando o teu coração vibrou com alegria em resposta ao Espírito de Deus? Quando olhas em retrospetiva os capítulos da experiência da tua vida, não encontras aí algumas páginas agradáveis? Não estão as promessas de Deus, como as lindas flores, crescendo junto da tua vereda por todos os lados? Não permitirás que a sua beleza e delicadeza encham o teu coração de alegria? As silvas e os espinhos apenas te ferirão e afligirão; e se tu apenas colheres estas coisas, e as apresentares a outros, não estás tu, além de menosprezares a bondade de Deus, a impedir que os que estão à tua volta andem na vereda da vida? Não é sábio reunir todas as lembranças desagradáveis de uma vida passada- as suas falhas e os seus desapontamentos- falar delas afligir-se por elas até que fiquemos abatidos pelo desânimo. Uma pessoa desanimada está cheia de medos, excluindo a luz de Deus do seu próprio coração e lançando uma sombra no caminho dos outros. Graças a Deus pelas cenas agradáveis que Ele nos tem apresentando. Reunamos as abençoadas certezas do seu amor, para que possamos olhar para elas continuamente. O Filho de Deus deixando o trono do Pai, vestindo a Sua divindade com a humanidade, para que pudesse resgatar o homem do poder de Satanás; o Seu triunfo em nosso favor, abrindo o Céu aos homens, revelando à visão humana o lugar onde a Divindade manifesta a Sua glória; a raça caída, erguida do abismo da ruína para dentro do qual o pecado a tinha atirado, e posta de novo em união com o infinito Deus, e tendo suportado o teste divino pela fé no nosso Redentor, vestido com a justiça de Cristo, e exaltada ao Seu trono – estas são as cenas que Deus deseja que contemplemos. Quando parece que duvidamos do amor de Deus e desconfiamos das Suas promessas, nós desonramos e ofendemos o Seu Santo Espirito.         

sexta-feira, 1 de junho de 2012

SANTISSIMA TRINDADE E SANTO AGOSTINHO

Santo agostinho, grande teólogo e doutor da Igreja, tentou e esforçou-se exaustivamente por compreender e desvendar este enigma. Após muito tempo de reflexão, esforço e trabalho, chegou à conclusão que nós devido à nossa mente extremamente limitada, nunca poderíamos compreender e assimilar plenamente a dimensão (infinita) de Deus somente com as nossas próprias forças e o nosso raciocínio. Conclui que a compreensão plena e definitiva deste grande enigma só é possível, quando na vida eterna, nos encontrarmos no Paraíso com o Pai, o Filho e o Espirito Santo. As três pessoas da Santíssima Trindade estabelecem uma comunhão e união perfeito modelo transcendente para as relações interpessoais. Elas possuem a mesma natureza divina, a mesma grandeza, sabedoria, poder, bondade e santidade, mas em algumas vezes, certas atividades são mais reconhecidas em uma pessoa do que em outra. As funções, suas principais atividades desempenhadas e o seu modo de operar, está registado nas Sagradas Escrituras e claramente resumido no credo.
Pai: não foi criado nem gerado. É o “princípio e o fim, princípio sem princípio “da vida e está em absoluta comunhão com o filho e com o Espirito Santo. Foi o Pai que enviou o seu Filho, Jesus Cristo, para a salvar-nos da morte espiritual, pelo sacrifício até à morte. Isto revela o amor infinito de Deus sobre os homens e o não abandono aos seus filhos adoptivos.O Pai, a primeira pessoa da Santíssima Trindade, é considerada como o pai eterno e perfeito. É atribuído a esta pessoa divina a criação do mundo.
Filho: Eterno como o pai e consubstancial (pertencente à mesma natureza e substância) a Ele. Não foi criado pelo Pai, mas gerado na eternidade da substância do Pai. Encarnou-se em Jesus de Nazaré, assumindo assim a natureza humana. O filho, a segunda pessoa da Trindade, é considerado como o Filho Eterno (Filho sob a ótica humana no sentido de que se tornando homem, deixou sua divindade, tornando-se totalmente dependente de Deus), com todas as perfeições divinas: a Ele é atribuída a redenção (salvação do mundo). Espirito Santo: Não foi criado nem gerado. Esta pessoa divina personaliza o amor íntimo e infinito de Deus sobre os homens, segundo a reflexão de Santo Agostinho. Manifestou-se primeiro no Batismo e na transfiguração de Jesus e plenamente revelado no dia de Pentecostes, habita nos corações dos fiéis e estabelece entre estes e Jesus uma comunhão íntima, tornando-se unidos num só corpo.
O Espirito Santo, a terceira pessoa da Santíssima Trindade é considerado nexo do amor. Atribui-se a esta pessoa divina a Santificação da Igreja e do mundo com os seus dons.
VINDE ESPIRITO SANTO SOBRE NÓS, E RENOVAI A FACE DA TERRA,AMEM.           
 

sexta-feira, 25 de maio de 2012

         A oração do Espirito Santo em nós é a intercessão: Ele louva, adora, proclama e também pede em nosso favor. Costumamos pensar que a oração de intercessão é só pedir, mas não: muitas vezes, o Espirito nos move a louvar, a adorar, agradecer e também a pedir. Porque temos tendência para pedir? Quando surge o caso de uma pessoa necessitada, logo pedimos.” Senhor, aquele irmão está a viver uma situação muito complicada só Tu Senhor tens a solução.”Mas a melhor maneira de interceder é: Senhor eu Te louvo, Te adoro e proclamo.       Tu és aquele que pode resolver todas as situações. Tu és a vitória. Entrego-Te este meu irmão que precisa da Tua ajuda ele te pertence, Senhor envia-lhe o teu Espirito para que ele tenha forças para resolver o seu problema, com a Tua ajuda ele já é um vitorioso. O próprio Espirito nos move a louvar e a adorar, o que é preciso antes de tudo é estabelecer a ligação entre a terra e o  céu, o que é feito por meio do intercessor. O Espirito Santo nos assiste na nossa fraqueza. Ele não nos escorraça porque somos fracos, mas nos assiste. O Espirito intercede por nós! O Espirito é quem nos dá a vitória sobre o pecado, só quando estamos cheios do espirito de Deus é que podemos  vencer o pecado. O Espirito Santo é a fonte de vida abundante. Deus tem para nós uma fonte que jorra para a vida eterna. Neste tempo de buscas e espera adoremos o Senhor e descansemos na sua soberana sabedoria. Ele sabe o melhor momento para as coisas acontecerem. Ele prepara-nos, e está constantemente a investir em nós. Trabalhando-nos moldando-nos, mostrando o seu Amor. Adora-O humilha-te, arrepende-te, prostra-te, louva-O saborei-O, e delicia-te.   

quinta-feira, 17 de maio de 2012

A ASCENSÃO DE JESUS DÁ LUGAR À MISSÃO DOS APÓSTOLOS

Por um tempo, Jesus apareceu-lhes atestando a sua Ressurreição. O sepulcro está vazio, abandonado. Ressuscitou como dissera atempadamente. A desilusão que os discípulos enfrentaram com a prisão do Mestre e com todo o processo que O leva da condenação à morte, dá lugar ao dia, à luz à ressurreição. Jesus volta para eles. Por pouco tempo. É Jesus que o prometera. Portanto, eles podem ver, podem falar cara a cara, podem tocar, podem fazer uma experiência extraordinária de descoberta e de encontro, de vida nova e de comunidade. Logo Ele ascenderá aos céus sua morada, que é junto de Deus Pai. Já os tinha avisado, já os tinha prevenido. Tiveram tempo para se habituarem àquela que será uma ausência muito próxima: da vastidão de Deus, Jesus estará perto de todos e não apenas daquele pequeno grupo de discípulos. “Eis que estarei com vocês todos os dias, até ao fim do mundo”. Estas palavras devem nos estimular, devem servir de alavanca para nos levar a assumir a evangelização. Assumir com garra nossa “herança” batismal, que é levar aos povos a Boa Nova da presença de Deus entre nós. Ele está presente nos nossos lares na nossa comunidade, é uma presença invisível, mas real, concreta. Jesus está presente na sua palavra na Eucaristia nas nossas vidas no nosso trabalho nos nossos momentos de oração nos momentos felizes e principalmente, nas horas de angústia. Jesus é uma presença constante, está sempre ao lado da Igreja. Ele está presente no nosso próximo sobretudo naqueles que sofrem, nos pobres, nos humildes. Quem quer de fato encontrar Jesus, deve procura-lo entre os oprimidos, fracos e pequenos. “Ele está no meio de nós!” Com muita convicção recitamos estas palavras nas nossas celebrações. Esta certeza deve acompanhar-nos, Todos os dias da nossa vida. Jesus contínua presente na nossa vida, na história nos acontecimentos do dia-a-dia. Jesus está ao lado de quem o anuncia e observa as suas palavras. Louvemos e agradecemos ao nosso amado Jesus pela sua Santa presença no meio de nós.        

sábado, 5 de maio de 2012

Maria é a perfeita figura da Igreja

                 
     Em virtude de sua cooperação singular com a ação do Espirito Santo, a Igreja gosta de rezar em comunhão com ela, para exaltar as grandes coisas que Deus realizou nela e para confiar-lhe súplicas e louvores.”Avé, Maria (alegra-te, Maria,” A saudação do Anjo Gabriel abre a oração da Avé Maria. É o próprio Deus que por meio do Seu Anjo, saúda Maria. Nossa oração ousa retomar a saudação de Maria com o olhar que Deus lançou sobre sua humilde Serva, alegrando-nos com a mesma alegria que Deus encontra nela.
Cheia de graça, o Senhor é convosco.” As duas palavras de saudação do Anjo se esclarecem mutuamente. Maria é cheia de graça porque o Senhor está com ela.” Alegra-te filha de Jerusalém… o Senhor está no meio de ti.” Maria, em quem vem habitar o próprio Senhor, é em pessoa a filha de Sião, a Arca da Aliança, o lugar onde reside a glória do Senhor: ela é “a morada de Deus entre os homens.”Cheia de graça, é dedicada àquele que nela vem habitar e que ela vai dar ao mundo.
Bendita sois vós entre as mulheres, e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus.” Depois da saudação do anjo, fazemos nossas, as palavras de Isabel.”Repleta do Espirito Santo.” Isabel é a primeira na longa série das gerações confiando-nos à sua oração, abandonamo-nos com ela à vontade de Deus: “Seja feita a vossa vontade.” “Rogai por nós, pecadores, agora e na hora da nossa morte.”Pedindo a Maria que reze por nós, reconhecemo-nos como pobres pecadores e nos dirigirmos à Mãe de misericórdia. À toda Santa. Entregamo-nos a ela. Agora, no hoje de nossas vidas. E nossa confiança aumenta para desde já entregar em suas mãos, a hora da nossa morte. Que Nossa Senhora Mãe dos homens e da Igreja, esteja então presente como na morte na Cruz de seu Filho, e que na hora da nossa morte, ela nos acolha como Nossa Mãe e nos entregue a jesus seu Divino Filho.        

sexta-feira, 27 de abril de 2012

EU SOU O BOM PASTOR

 Todos nós temos as nossas figuras de referências, os nossos heróis, os nossos mestres, os nossos modelos. É a figura desse tipo que, utilizando a imagem do Evangelho do quarto Domingo da Páscoa, poderíamos chamar o nosso “PASTOR”…É Ele que nos aponta caminhos, que nos dá segurança, que está ao nosso lado nos momentos de fragilidade, que condiciona as nossas opções, que é para nós uma espécie de modelo de vida. Para o cristão, o “Pastor” por excelência é Cristo. É Nele que devemos confiar, é à volta Dele que nos devemos juntar, são as suas indicações e propostas que devemos seguir. O nosso “ Pastor” é de facto, Cristo. Reparemos na forma como Cristo desempenha a sua missão de “ Pastor” Ele não atua por interesse; Ele não foge quando as ovelhas estão em perigo, mas defende-as, preocupa-se com elas; ao ponto de dar a vida por elas Ele mantem com cada uma das ovelhas uma relação única, especial, pessoal conhece os seus sofrimentos, dramas sonhos e esperanças. As “qualidades” de Cristo, o Bom Pastor, aqui enumeradas, devem fazer-nos perceber que podemos confiar incondicionalmente Nele e entregar, os nossos receios, a nossa vida nas suas mãos. Este “ jeito” de atuar de Cristo deve ser referência para todos que têm responsabilidades na condução das Comunidades das Dioceses e todos a quem foram confiadas as suas ovelhas.
    



domingo, 15 de abril de 2012

SÃO TOMÉ E A SUA INCREDULIDADE.

 São Tomé era um dos doze apóstolos que seguia Jesus e assistiu a tudo quanto aconteceu a Jesus. O Senhor o chamou dentro da sua realidade, com suas fraquezas e até com suas crises de fé. Nosso Senhor Jesus revelou-nos coisas maravilhosas através de São Tomé: “Tomé disse a Jesus, nós nem sabemos para onde vais, como poderíamos saber o caminho?” Jesus disse-lhe: Eu sou o caminho a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai a não ser por mim” (jo 14,6). Tomé nunca teve medo de expor a realidade de sua fé e de sua razão, que queria saber cada vez mais e melhor. Quando Jesus apareceu aos apóstolos ao ressuscitar, Tomé não estava ali, e aí encontramos seu testemunho: “Oito dias depois, os discípulos encontravam-se reunidos na casa, e Tomé estava com eles. Estando as portas fechadas, Jesus entrou, põe-se no meio deles e disse “A paz seja convosco”. Depois disse a Tomé: “Põe o teu dedo aqui e olha as minhas mãos. Estende a tua mão e coloca-a no meu lado e não sejas incrédulo, mas cré”. Tomé respondeu.” MEU SENHOR E MEU DEUS”. Será que você para acreditar em DEUS tem que o ver ou sentir tocando-o?Disse o Senhor.”Feliz é aquele que acredita sem ver. O Papa São Gregório Magno meditando essa realidade de São Tomé diz.”A incredulidade de Tomé não foi um acaso, mas prevista nos planos de Deus. O discípulo, que duvidando da ressurreição do Mestre, pôs as mãos nas chagas do mesmo, curou com isso a ferida da nossa incredulidade”. Segundo a tradição, Tomé teria ido, depois de Pentecostes, evangelizando pelo Oriente e India onde morreu testemunhando a sua fé por lanças de quatro soldados. Jesus também foi ferido por uma lança de um soldado. Em Deus nada acontece por acaso.
SÃO TOMÉ  PEDI A JESUS POR NÓS, PARA QUE SEJAMOS CRENTES E NÃO INCRÉDULOS.     


domingo, 8 de abril de 2012

José de Arimateia

 José de Arimateia era assim conhecido por ser da Arimateia, Cidade da Judeia. Homem rico justo e bom era senador da época, era membro do Sinédrio, o colégio dos mais altos magistrados do povo Judeu. Era simpatizante do movimento liderado por Jesus mas não queria que se soube-se por medo dos Judeus. Apesar de ser um seguidor secreto de Jesus, na hora certa, deu a cara foi ter com Pôncio Pilatos, e pediu que lhe entrega-se o corpo de Jesus, ao contrário dos discípulos de Jesus que nada fizeram para que o corpo de Jesus fosse sepultado com dignidade. Pôncio Pilatos entregou-lhe o corpo de Jesus. Foi embalsamado embrulhado num lençol de linho novo que José tinha com ele para esse efeito, que é conhecido como Santo Sudário. Sepultou num sepulcro que tinha sido feito de sexta-feira santa para sábado Santo, a 30 metros do local onde Jesus foi crucificado e fechou com uma pedra bastante grande, de onde ressuscitou após três dias depois da morte. Após a retirada do corpo de Jesus, José foi preso por seguir a doutrina DELE; ficou muitos anos preso. Caifás queria que ele ficasse preso até morrer, mas como José era muito esperto para os negócios lucrativos, o governador depois de conversar com Pôncio Pilatos e com os membros do Sinédrio, resolveu solta-lo. José de Arimateia além de trazer riquezas para a sua região, aproveitou o útil ao agradável, aproveitando as viagens para divulgar os ensinamentos de Jesus Cristo. Segundo alguns relatos José de Arimateia ficou entregue ao lençol onde Jesus foi envolvido, e do Cálice da Santa Ceia, levando-o para a Europa. Este Cálice ficou conhecido como o Santo Braal.
José de Arimateia é venerado como Santo Católico no dia 31 de Agosto.         

sexta-feira, 6 de abril de 2012

MEU POVO QUE MAL TE FIZ EU?

 Libertei-te da terra do Egito e tu preparaste uma cruz para o teu Salvador. Meu povo, que mal te fiz EU? Em que te contristei? Responde-me. Por tua causa flagelei os egípcios e os seus primogénitos e tu entregaste-me para ser flagelado. Libertei-te do Egipto, submergindo o faraó no mar vermelho e tu entregaste-Me aos príncipes dos sacerdotes. Meu povo, que mal te fiz EU? Em que contristei? Responde-me.
Abri o mar diante de ti e tu abriste-Me o peito com uma lança. Caminhei à tua frente como nuvem luminosa, e tu levaste-Me ao pretório de Pilatos. Alimentei-te com o maná no deserto e tu feriste-Me com bofetadas e açoites. Meu povo que mal te fiz EU? Em que te contristei? Responde-Me.
Dei-te de beber a água salvadora que saiu do rochedo e tu deste-Me fel e vinagre. Por tua causa feri os reis de Canã e tu com uma cana feriste-Me a Cabeça. Dei-te o ceptro real e tu colocaste-Me na cabeça a coroa de espinhos. Meu povo que mal te fiz EU? Responde-me. Pelo meu poder elevei-te acima dos povos e tu levantaste-Me no patíbulo da cruz. Meu povo, que mal te fiz EU? Em que te contristei? Responde-Me. Há 2.ooo anos Jesus dizia estas palavras ao povo de então. E atualmente continua a dizer precisamente as mesmas palavras e a fazer as mesmas perguntas. QUE MAL TE FIZ EU para me tratares da maneira que me tratas todos os dias da tua vida? Façamos a pergunta a nós mesmos, que tenho feito eu para diminuir o sofrimento de Jesus? Alguma coisa mudou em mim? Sexta-feira Santa dia em que nos recorda a paixão e morte de Jesus Cristo para libertação de toda a humanidade; façamos uma reflexão bem aprofundada para que os erros que se cometeram não se repitam, para que haja paz e amor em todos os corações. E acima de tudo amemo-nos uns aos outros como ELE nos amou e continua a amar apesar das nossas imperfeições.
  

sexta-feira, 30 de março de 2012

DOMINGO DE RAMOS

 A semana Santa começa no domingo chamado de Ramos, porque celebra a entrada de Jesus em Jerusalém montado num jumentinho expressão da pequenez terrena; Ele não é deste mundo. É aclamado pelo povo simples que o aplaudia como “aquele que vem em nome do Senhor.”Esse povo tinha visto Jesus ressuscitar Lázaro de Betânia há poucos dias e estava maravilhado. O domingo de Ramos é o início da semana que mistura os gritos de hosanas com os clamores da Paixão de Cristo. O povo acolheu Jesus abanando ramos de oliveira e palmeiras que significam a vitória, e ao mesmo tempo gritavam. ”Hosana ó filho de David: bendito o que vem em nome do Senhor, o Rei de Israel; hosana nas alturas.”Os ramos fazem-nos lembrar que somos batizados, e pelo batismo somos filhos de Deus, membros de Cristo, participantes da Igreja, defensores da Fé Católica, especialmente nestes tempos em que ela é desvalorizada e espezinhada. Os ramos que levamos para casa após a missa, lembra-nos que estamos unidos a Cristo na mesma luta pela salvação do mundo, luta árdua contra o pecado, um caminho em direção ao Calvário, mas que chegará à Ressurreição. O sentido da Procissão de Ramos, é mostrar essa peregrinação sobre a terra que cada Cristão realiza a caminho da vida eterna com Deus. Ela nos recorda que somos apenas peregrinos neste mundo tão passageiro que se gasta tão rápido. Também nos recorda que a nossa pátria não é neste mundo, mas na eternidade na casa do nosso Pai eterno.     

domingo, 25 de março de 2012

PUNHAMOS AMOR EM TUDO QUE FAZEMOS

 O que falta Senhor, onde há amor? E onde não o há, que pode haver de proveitoso?
O demónio crê, mas não ama. Em contrapartida, ninguém ama sem crer. Quem não ama, desespera o perdão. Quem ama, pelo contrário, está certo de alcançá-lo. Por isso Senhor, com razão se pode chamar ditoso a quem ama. Porque o amor é mais forte do que a morte. Ele é a sabedoria da ignorância, a riqueza da pobreza, a vida da própria morte. Ditoso quem é movido pelo amor. Ele não rebaixa a felicidade porque não é orgulhoso. No meio das dificuldades caminha seguro. Rodeado de intrigas, mantém-se inocente e calmo. Aceita e sofre tudo na vida presente, porque tudo pede e espera da vida futura. Ditoso quem põe amor nas coisas, pois as coisas terão sentido, em contrapartida, pobre daquele que lhes retira o amor, porque tudo o que fizer se tornará vazio. Ditoso quem faz tudo por amor, pois o amor, dá cor à vida, muda-a e faz com que se veja de outra forma, tudo que é pesado dificultoso, monótono… se torna diferente quando o amor marca presença. Ponhamos, amor em tudo o que fizermos! Porque as boas obras não se definem pela sua quantidade, mas pela sua finura; nem pelo peso, mas pela sua qualidade: nem pelo quê, mas pelo porquê.
SENHOR DÁ-NOS UM CORAÇÃO PARA AMAR!!!